I miss you

Calmamente adormeci
revendo umas antigas fotos tuas,
revivi em sonhos
todos aqueles doces momentos,
em que eu me enlaçava
em teus mais belos sorrisos
e segurava tua mão
enquanto via o sol se pondo
no nogado horizonte de teu olhar...

...quando acordei
o dia já era mais outra noite,
e na madrugada fria,
mais uma vez
eu chorei a tua ausência
em meus braços...

Teus olhos e teus olhares

Teus olhos, teus doces olhos de mel,
são duos pontos brilhantes no horizonte,
são duas estrelas distantes no céu...

Teus olhos, teus doces olhos de mel,
quando tímidos me olham, me encantam
e me levam tão alto, perto do céu...

À tua espera

Quando partiste, em meu peito
ficou um extremo vazio...
..sozinho, fica a tua espera
numa insana vigília...

De tua bela forma nua,
de repente vejo o vulto
pedindo o antigo prazer
dos ardentes beijos meus...

...de repente acordo e me
vejo aqui, tão solitário,
triste, abandonado ao pó...
...minha face se enche de lágrimas...

...e me lembro de que tu
agiu como se me amasse
e eu, iludido te segui...
...E tu sorrias tanto, tanto...

E com os mesmos risos de
infernais encantos, em
um passado negro, me
deixaste nessa vã espera...

Baldado degredo

Nesses tantos dias e meses,
que sozinho tristemente
percorri, por eu não estar
preparado, infelizmente,

tentei apagar-te de todos
os meus tantos pensamentos...
...me afastei dos olhos teus...
...Na distancia, um vil tormento

me invadiu e me machucou...
Agora vi-te novamente,
o coração acelerou
e tu não sai de minha mente...

Nesses tantos dias e meses,
tão vazios e tão tristes,
pela primeira vez eu
sinto que a alegria ainda existe...

Silenciosamente

Silenciosamente uma pequena aranha
enfeita uma triste cruz esquecida...
...fungos absorvem a carne apodrecida...
...vermes infames corroem nossa entranha...

Esquecer

Esquecer, não, já não posso...
Dia a dia, tentei apagar
todos os instantes insanos
nos quais nossas bocas se tocavam...

Tentei tirar teu cheiro
de minhas tristes lembranças,
de minhas roupas usadas...

Tentava lembrar dele,
de todos teus beijos nele,
de todos os carinhos...

...mas era qual se meu peito
não ligasse pro outro... tentei
com toda dor te deixar
como uma linda lembrança...

Mas não posso esquecer
e ver minha felicidade
se entregando a outros braços...
Eu não posso te deixar...

...mesmo que não seja eterno
-ninguém sabe o futuro-
mas que seja tão intenso
como a lava de um vulcão...

Eu não quero, não posso,
não devo, não tenho, não vou
te deixar como um sonho...
Esquecer, não, já não posso...

Ritmo Insoluto

Aos primeiros raios da aurora
o desértico silêncio
da madrugada é quebrado
pela minha alma que chora...

Mais uma noite fria, nevoenta...
Mais uma noite que se foi,
uma noite de uma vida só...
Mais uma noite de tormentas...

Minhas lágrimas são dous rios,
um de angústia e mui remorso,
outro de extrema saudade
dos momentos não sombrios...

Ah! Se Deus com Mão Divina
me guiasse até onde está a paz,
me desse a luz e carinho,
findando essa vil rotina...