O último dia...

Não consigo evitar mais que essas gotas salgadas como o mar corram pela minha face...
Há, como tenho olhado essa imensidão de água e desejado criar forças para me entregar, e deixar as ondas me puxarem para o infinito...

Há, como tenho desejado me perder, desaparecer...

Olho no espelho e só vejo trapos,
ossos e pele, sem carne...

Fecho os olhos e tento pensar nos momentos felizes,
nos amores que tive,
nos sorrisos,
nas conquistas,
mas não vejo nada...

...em todo esse tempo
tudo que conquistei foi esse vazio,
essa dor no coração, que ninguem tira...

...em todo esse tempo
eu fechava meus olhos e fingia estar tudo bem,
imaginava um mundo diferente,
vivia uma realidade alternativa,
onde só a poesia bastava...
...e por algum tempo eu tive amores, tive amantes...

Mas na verdade, cada vez mais eu estava mais solitario,
diferente ao mundo...

Me sinto perdido,
escuto as conversas no onibus,
todos falam coisas que eu nunca vi,
estao todos conectados numa realidade de onde estou,
festas, baladas, risos, amigos...
...e eu em looping... a mais de tres anos tentando terminar a monografia e no ultimo instante desisto...

Eu não sei organizar meu tempo,
não sei organizar meu dinheiro,
as vezes faço mil coisas ao mesmo tempo,
as vezes nao consigo fazer nada e quando vejo ja se passaram tres meses...

Talvez quem olhe para mim acredite que eu seja feliz,
mas eu acho isso dificil, porque meus olhos ja mostram...
Como diz a musica, "parece cocaína, mas é só tristeza...",
ja me perguntaram se uso algo...

Eu estou cansado,
nao quero voltar para casa,
nao quero voltar para o hotel,
quero ficar aqui,
vou esperar a maré subir,
vou adormecer na areia,
e espero que lentamente as ondas me levem aonde tudo sera silencio,
onde o meu ser se libertará dessa carne podre
onde eu não serei mais essa imagem torta...