Anjo Negro

E o anjo negro pousou suas mãos sobre os meus ombros,
me puxou e me deu um abraço frio,
olhou em meus olhos, e com sua doce voz me questionou:
Porque não apresentas medo nesse momento em que te envolvo?
E eu respondi:
Pois teu abraço, oh gran ausência, é o único abraço que recebi durante todo esse tempo que tenho sobrevivido...

Estranho

É estranho como é tão fácil voltar a se tornar um estranho...
...é estranho como é tão fácil ficar invisível quando passo por você...
...é estranho como é fácil para você virar para o outro lado,
fingir que não escutou meu timido 'oi' na distância (que distância? eu estava do teu lado)...

É estranho, as vezes ainda pegar o telefone, discar teu número para dividir algo bom que aconteceu ou ligar apenas para escutar o som da tua voz...

...é estranho abrir a gaveta e ainda encontrar algo teu,
as vezes penso em te entregar, ou jogar fora,
mas deixo como está, e fico na esperança de você me ligar (nem que for só para pedir para levar o que deixou aqui)...

Solidão

Nesses dias tão estranhos
fico me escondendo pelos cantos,
não consigo evitar esses pensamentos de que os anos estão passando rápido demais, e eu não tenho feito nada que realmente tenha valido a pena...

...meus dias são vazios,
minhas poucas conversas são vazias,
meus olhos fundos de tristeza,
meu braços magros de tristeza...

...me dói sentir essa solidão,
me dói esse sentimento de não ser querido...

...sinto falta de dormir abraçado,
de ter alguém me querendo bem, e de ter alguém para eu querer bem...